Observatório

Observatório do Manejo Florestal Comunitário e Familiar


Ao redor do mundo, a imagem da Amazônia é constituída a partir de seus diferentes potenciais: extrativista, biotecnológico, hídrico, energético, turístico e de prestação de serviços ambientais para a estabilidade do planeta. Para que tudo isso sobreviva aos impactos do desmatamento, é preciso que a própria região reconheça e fortaleça um dos seus mais importantes potenciais: o de produzir com sustentabilidade. Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), no ano de 2016, o desmatamento voltou a crescer no Pará, alcançando 21% do território, o que equivale a 3 mil quilômetros quadrados. Somando as últimas três décadas, os números do desmatamento marcam 263 mil quilômetros quadrados de floresta derrubada, área superior ao território do estado de São Paulo.

 

É nesse contexto e acreditando na prática do manejo florestal como uma alternativa eficaz para utilização responsável dos recursos naturais que nasceu o Observatório do Manejo Florestal Comunitário e Familiar (OMFCF). A iniciativa articula diversas organizações da sociedade civil, institutos de ensino, pesquisa e comunidades, com a missão de promover o manejo florestal como uma estratégia relevante, consistente e viável para a sustentabilidade da região amazônica. Nesse sentido, busca contribuir para a valorização e garantia dos direitos e dos modos de vida de agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais da Amazônia, além da construção de um modelo de desenvolvimento ambientalmente sustentável e socialmente justo.

 

Com atuação prioritária no estado do Pará, o Observatório começa suas atividades envolvendo 24 organizações e poderá agregar outras que desejarem integrar a iniciativa ao longo dos anos. Dentre as componentes iniciais, 14 são organizações de base comunitária, totalizando 2.500 famílias de oito municípios: Almeirim, Anapu, Belterra, Curralinho, Juruti, Portel, Porto de Moz e Santarém. Uma das principais frentes de atuação do OMFCF é gerar e compartilhar informações para fortalecimento das comunidades sobre as técnicas de manejo, desenvolvimento institucional e, especialmente, para atuação sociopolítica e incidência nas políticas públicas voltadas para garantir uma agenda mínima do manejo florestal comunitário e familiar.

 

Para tanto, o Observatório terá como atividades a geração, gestão e disseminação de informações qualificadas, a realização de estudos e pesquisas, o monitoramento de políticas públicas, o encaminhamento de demandas de orientação técnica e jurídica de comunidades manejadoras, a realização de debates públicos e ações de formação e capacitação de comunidades, organizações da sociedade civil e agentes públicos e privados.

 

Com olhar de dentro, atenção ao presente e visão de futuro

O manejo florestal comunitário e familiar é, essencialmente, uma atividade coletiva. Por isso, a elaboração das diretrizes do Observatório não poderia ser diferente. Valorizando a colaboração de saberes e experiências, a proposta do OMFCF foi elaborada a partir da realização de três oficinas sequenciais que reuniram, no primeiro semestre de 2017, representantes das organizações comunitárias, das instituições de ensino e pesquisa, de movimentos sociais e organizações não governamentais interessadas na iniciativa. Após o debate sobre o cenário florestal no Estado, da troca de informações entre os participantes sobre a prática da atividade e os desafios para se implantar uma política consistente de promoção do manejo florestal comunitário familiar, foram eleitos três objetivos principais: (

1) Fortalecer as práticas de manejo florestal de uso múltiplo;

(2) Preparar as associações para incidência política em busca da valorização e o apoio ao manejo florestal comunitário e familiar no Estado do Pará;

(3) Investir de forma permanente para o desenvolvimento Institucional do Observatório.